sábado, 13 de junho de 2009

It's time to come back!

Às vezes a vida pede um copo d'agua e dar um tempo vem bem.
Às vezes postar algo novo deixa de ser inspirador e vira pura obrigação.
Às vezes postar algo velho deixa de ser gostoso também...e de pura recordação e memória vira o jornal de ontem lido só hoje...ou melhor parafraseando: o Twitter de 2 horas atrás postado só agora. Que desgosto!
E aí você se vê com mais essa ansiedade pra administrar. E isso não é legal!
Ahn, não é mesmo!
Ai você pára! Pára tudo!
E isso não chega a ser um "refrescar a cuca" com MAIS informação. Não! Me dá um tempooo!

Parênteses do pensamento:
(Ainda preciso de um tempo pra digerir o Twitter por exemplo. E não questiono a fonte riquíssima de informação instantânea e fresquinha. Isso é demais. Aliás, tô sempre espiando o do John. Questiono o envolvimento da pessoa. É como ser viciado em jogo do bixo...aPOSTA de hora em hora, estando 24 horas conectado.
Ok, talvez quando meu software for configurado com uma nova versão (leia-se + saco) e meu HD tiver mais espaço (leia-se + tempo) as coisas mudem. Quem vai saber?!)

O que sei é que a minha máquina ficou adormecida por pouco mais de um mês e um tanto cansada dessa engrenagem maluca (leia-se tecnologia) que produz "informação". Junte-se a isso as nossas "Redes sociais" e essa obscena quantidade de "fontes e opções" a nosso dispor e consigo diagnosticar as consequências: boom da informação e exaustão mental! Ufa! E não deixemos de fora o que seria nos tempos atuais praticamente o nosso DNA, o inseparável celular!

Mas voltando ao ponto em questão, I'm back. Fui ali ser celebridade da vida real e voltei pra postar, porque definitivamente a máquina não pára. Só vai ali na esquina tomar um refresco e já volta!

Parênteses do pensamento:
( Hoje em dia você só é celebridade de duas maneiras: ou é um colecionador de recados no facebook/views no YouTube. Ou decide ficar out e não fazer parte do mundo dos relacionamentos virtuais, pelo menos. No primeiro, os outros acabam te elegendo celebrity do bem ou do mal por quantificação/ibope. E entenda que isso nem sempre é bom pra você. Na última opção, a de ficar out dos holofotes, é você quem se define uma celebridade, o que para muitos pode não ser legítimo, mas que na verdade não é nada além de curtir uma experimentação fora das redes de relacionamento. Dando um tempo e mantendo certa distância dos "paparazzis online", o que também gera curiosidade (Podem reparar que ultimamente uma pessoa que se considera cool posta apenas uma ou duas fotos nos seus álbuns virtuais e não mais 15 álbuns repletos de fotos. Ou seja, aparecer menos tende a virar hit e passar a ser mais interessante!). Seria apenas uma curtição diferente, o caminho oposto a maré.
No meu caso, por exemplo, que sou a Madonna só em quiz ("Que celebridade você é?" via Facebook) e minha audiência não anda lá essas coisas é com a segunda que eu fiquei esse mês...bem dentro do meu mundinho! Me celebrando de cabeça vazia!)

Anyway, pra celebrar a volta, venho a la antiga...mulher é assim mesmo: de fases. E eu preciso tirar o mofo dos meus paletós e olhar pra eles de novo. Quero recriar/rever algumas coisas antes de partir pra mais UMA.
Tô cansada do último hit, da última informação, do último trend embora me alimente disso também. Quero, as vezes, ser celebridade de mim mesma e só.

E principalmente, quero experienciar o simples e o real + e +.

Parênteses do pensamento
( E por falar em experienciar o simples, sempre me lembro de uma frase vinda de uma amiga: "quando eu tiver um filho vou relembrá-lo a cada segundo que ele é criança, que a única obrigação dele é brincar. Afinal, uma coisa tão simples dessa deve ser relembrada sempre.)

Já viajei na maionese e acabei esse texto uma saudade de ser criança. De se enterrar na areia, brincar de esconder. Catar insetos. Pular muro. Passar a tarde com a cabeça vazia, vendo sessão da tarde, comendo trakinas e tomando coca com gelo.

Em homenagem há tempos de contemplação e não de aflição:




Alguém aí se lembra desse?

5 comentários:

Anônimo disse...

Amei o retorno.
Bj

Anônimo disse...

o anônimo = fabi
ahahahah

Lua disse...

Hehehe, tu viu Fabi, tudo culpa tua! ;-)

beijos mil

Anônimo disse...

ainda bem que sou culpada por algo bom.....ehehehe
estou por aqui, me atualizando.
beijos
fabi

Carolina Lopes da Silva disse...

Adorei o post, também estive numa fase de afastamento e ainda tenho restrições quanto a tantas redes. rsrsrs... Me rendi ao orkut, ao facebook, a escrever um blog, mas continuo resistindo ao twitter. Acho que é um pouco de mais pra minha cabeça... rsrsrs... Pelo menos por enquanto.

bjos