sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Um brinde ao mundo virtual

Nessa fase "férias forçadas" a insonia é minha melhor amiga. Aquela que antes dormia com a Cinderela agora não dorme antes das 3 da madruga. Normal pra muitos, mas estranho pra mim, que sou ser da luz e do dia!

Anyway, o bom é que com esse tempo livre, geralmente tão escasso pra todos nós, dá pra atualizar todas as leituras, ir de blog em blog, de fotolog em fotolog, de flikr em flickr, saber tudo que tá acontecendo com TODO mundo e com o mundo, "tomar um fartão" e chegar a conclusão mais manjada do mundo, mas nem por isso menos assustadora de que vivemos soterrados na era virtual!

Tchê, agora mesmo tava lendo um blog de um amigo que aderiu ao twitter. Pra quem não sabe é um programa em que cada participante conta pra sua rede o que tá fazendo no momento em que tá fazendo!

Há quem diga que esse programa age com se fosse uma espécie de "terapia freudiana", fazendo uma metáfora esdruxula. A partir de uma ação despejada ali por um dos integrantes, como numa catarse diária, sem penso algum, os outros integrantes vão formando livre associações, dando alguma continuidade ao texto inicial (mesmo que pareça sem sentido), gerando assim a construção de correntes de comunicação.

Bacana? Talvez. O que acrescenta? Ainda não enxerguei o brilho dessa ferramenta. A primeira vista me parece um Big Brother boring. Só mais uma página pra atualizar e perder tempo. Mas quem sou eu pra falar do twitter, eu mesma já aderi a tantas outras ferramentas dessa espécie, como orkut, blog, flickr, facebook.

O fato é que quando faço essa "limpa na galera" me assusto um pouco. Quanto tempo dedicamos ao VIRTUAL e o quanto isso interfere no REAL?!
Com todo esse, digamos assim "excitamento virtual" pode o "excitamento real" ser um sonho sempre a alcançar, lá adiante?

Tava lendo ontem a entrevista do Slavoj Zizek (em outro blog obviamente) e uma das respostas bateu forte e acho que reflete um pouco isso:

-When were you happiest?

"A few times when I looked forward to a happy moment or remembered it - never when it was happening."

Outra situação que me fez pensar nesse excesso virtual em que vivemos foi quando recebi umas amigas que eu adoro aqui em Londres. Confesso que me choquei com a instantaneidade com que elas atualizavam a viagem delas pros outros.
Suponho eu que a idéia de viajar seja justamente desconectar, vivenciar algo novo, culturas, pessoas e por aí vai.
Não que elas não tenham curtido a viagem, mas praticamente todos os dias da estada delas aqui o orkut foi abastecido com fotos, e nisso obviamente o feedback da turma querendo saber as novis...e daqui a pouco mensagens do celular pros amigos e fotos e filmes e fotos e filmes...
Numa parte da viagem me lembro da Fer, que mora aqui em Londres, comentando:
- Eu fui pra Paris, cheguei na Torre Eiffel e quando eu me dei conta vi que a gente tinha fotografado TODA ela, fazendo caras e bocas e ângulos, mas eu ainda não tinha parado pra olhar pra ela, pensar nela. Era como se a gente estivesse numa espécie de compulsão: tirando e tirando foto sem parar e contemplar realmente.

Estaria a nossa mente trabalhando menos ao passo que tudo é armazenado em algum outro lugar fora do nosso corpo/mente?!

Me despeço aqui. Depois de quase três horas lendo os textos alheios, mais uma escrevendo no blog eu vi que eu ainda tenho que atualizar o orkut, o flickr, o facebook e ir dormir.

Namorar?

Quem sabe...

7 comentários:

LuRodrigues disse...

Pior, Luana. A gente não contempla mais as coisas, estamos mais interessados em fotografar e mostrar pro mundo nos Orkuts da vida. Bah, isso é muito fato. Basta ir a um show qualquer pra perceber que 99% dos presentes estão mais preocupados em fotografar o artista do que realmente curtir a música. É triste, mas é real.
Saudades.
Beijos

Fernanda Iensen disse...

MELHOR TEXTO QUE LI NOS ÚLTIMOS ANOS! TU TA MATANDO A PAU!!

Giovana disse...

Acho que qt maior o número de opções e variáveis dessas opções, fica mais difícil afinar o ponto de equilíbrio entre o real e o virtual.

Hoje dá pra chegar em casa -do show- e baixar ele na internet. Mostrar pra mãe, pro tio, pro amigo que não foi. Tipo qd a gente foi na festa do metrô aí em Londres e tu queria mostrar pro pessoal da casa como é que tava a festa. Lembra? E isso porque alguém escolheu pra sua vida experimentar a festa registrando tudo e depois postando no youtube. Será que ele foi mais triste ou mais feliz do que a gente que ficou só gritando?
hehehe
Talvez ele tenha sido feliz e a gente tb. Pq cada um fez o que quis.

Nascemos sem celular e sem máquina digital.
E eu ainda fico magoada qd alguém sai do msn sem me dar tchau.

Vou ser bem piegas, agora.
O mundo tá mais imediato.
Tá mudando. como mudou qd apareceu o telefone, a luz, o rádio, a tv...
Por que que tem que ser pra pior?

Ai! Vamos ser felizes!
Que bom que a gente pode te ler, Luana! Viva a internet!
heheheheheh
BEIJO E SAUDADES!!!!

Gis disse...

Luana, estás coberta de razão. Mas acho que como tudo na vida o melhor é, como diz o budismo, seguir o caminho do meio. Usar a modernidade ao nosso favor quando queremos. Eu odeio me sentir japa e perceber que fiquei tirando fotos em vez de curtir o momento. Tenho até tirado menos fotos do que gostaria pq acho um saco essas pessoas que ficam carregando a digital por aí e fotografando tudo. Acaba que vivo deixando a minha em casa pra não ser mais uma neurótica em cena. rsrs A festa tá marcada pro dia 25 e vai ser lá no Sotão. Dia 28 já estarei em Braga. ;-)

Lua disse...

Lu, Fer, Gio e Gis,

adorei os pontos de vista...
A idéia era justamente trazer esse assunto a tona...


Concordo com os pontos de vista e acho que a Gis conseguiu resumir bem tudo que falamos: "usar a modernidade a nossa favor quando queremos..esse é o equilibrio de cada um."

beijocas

fernanda iensen disse...

Lu, ja faz um tempo eu fico planejando em fazer todas as coisas que a gente sempre quer fazer um dia. Tinha até uma lista do tipo "tudo que tenho que fazer antes de morrer", sabe? Mas sempre achamos uma desculpa... pra não fazê-las. Ou é porque não temos tempo, ou é porque não temos $$, ou...ou...ou. Ontem voltei a fazer kung fu (senti tua falta). Quase morri fisicamente...nem preciso dizer né...mas foi diferente das outras vezes, até porque acho que eu mudei muito de lá pra cá. Ontem o professor falou muito e aprendi que as forças ying yang são a tradução do equilibrio que a gente tem que tentar ter em tudo na vida. Sei que parece uma coisa muito dãã, tipo...a gente já sabe isso a anos, mas ontem me deu um insight, um estalo como quem descobre como fazer fogo pela primeira vez. Eu realmente compreendi e isso fez muito sentido pra mim, naquele momento.
Voltei a praticar o zazen (meditação), shiatsu, além do Kung Fu. Mudei de agência, e diminui o ritmo frenético. Isso tudo ta me fazendo muito bem, mas ao mesmo tempo me faz mal. O que fazer com o tempo ocioso???? QUE ANGUSTIA!!Eu vinha de um ritmo muito pauleira, que parar para fazer xixi no meio do dia era luxo. Agora eu consigo ler a Zero Hora, enquanto tomo um bom capuccino aqui na agência. A mudança foi brusca. Por isso, resolvi tirar aquele papel com todas as coisas que eu tinha que fazer antes de morrer e começar a fazer algumas delas, de vagar, sem medo. A verdade é que to acalmando meu coração. Eu sou uma pessoa dramática. Pra tudo, eu faço drama...não facilito muito...hehehe Tô sempre em conflito com alguma coisa o tempo todo, mas ultimamente tenho conseguido acalmar mais o meu coração e a minha mente. Tô me sentindo mais inteira e feliz com as minhas escolhas. Talvez pela primeira vez na vida.

Lua disse...

Fer

nossa, ..coisa boa esse monte de mudança,mudar faz bem sempre, nem que seja pra gente rever o que quer, voltar atrás ou seguir adiante..

Por mais agoniante que pareça, acredito muito que é no ócio que muita coisa vem a tona..porque aí temos tempo pra pensar na vida e em nós mesmos.

Bah, que saudade do kung fu, que bem que faz pra alma e pro corpo...mês que vem quero ver se começo a fazer aqui..já encontrei um lugar pertinho de casa...também encontrei um pra meditação-hehehe!

Nossa..ia render a nossa ida num barzinho pra botar o papo em dia!;-)

Manda beijo pro Waguinho ;-)