terça-feira, 11 de dezembro de 2007

Jung II

A nossa consciência pode se orientar em relação à experiência de quatro formas.
De maneira geral cada um de nós possui uma dessas quatro formas em predominância, porém todas elas estão presentes em dado momento da nossa vida.
Determinada forma pode predominar ou se ocultar. Tudo vai depender da natureza da experiência, de quantas vezes o bicho foi solto e foi dominado e da forma que ele nos pegou, entende?

As formas são basicamente:

1. Pensantes – aquelas criaturas que racionalizam tudo, através das faculdades intelectuais.
2. Inteligentes - aqueles que pensam através de sentimentos. Seria um sentir com uma função racional e organizada.
3. Intuitivos – aqueles seres irracionais, que de forma involuntária são dominados por sua profunda percepção e palpite.
4. Sensitivos – aqueles que não entendem o que acontece, não fazem idéia, mas tem a nítida sensação de que há alguma coisa.

Num resuminho simplório, a sensação diz que alguma coisa existe. O pensamento nos mostra o que é essa coisa. O sentimento revela se é agradável ou não. A intuição nos diz de onde vem e para onde vai.

Você já parou pra pensar de que forma o bicho pegou você?

6 comentários:

OS OLHOS ABERTOS disse...

pela sensação, definitivamente.
ainda restam pelo menos dois estágios, né...
:)

Dorothy Ballarini disse...

Nossa Lua..... Isso surgiu depois do meu monólogo a sobre a racionalização dos sentimentos??


Sim.


Tudo é quimica.

Creio que seja mais facil para nós nos transformarmos em maquininhas pensantes por alguns momentos, para anestesiar algumas feridas que nosso sistema emocional aliado ao nosso DNA venusiano, ID (otamente) fazem questão de manter abertas.

Sejamos homens.

Pelo menos, enquanto aguentarmos!

Dorothy Ballarini disse...

Nossa Lua..... Isso surgiu depois do meu monólogo a sobre a racionalização dos sentimentos??


Sim.


Tudo é quimica.

Creio que seja mais facil para nós nos transformarmos em maquininhas pensantes por alguns momentos, para anestesiar algumas feridas que nosso sistema emocional aliado ao nosso DNA venusiano, ID (otamente) fazem questão de manter abertas.

Sejamos homens.

Pelo menos, enquanto aguentarmos!

Dorothy Ballarini disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Max disse...

Lu, adoro as coisas que tu escreve...sempre tão inspiradoras, como tu. Saudades! bjos, max

Anônimo disse...

necessario verificar:)