quinta-feira, 25 de março de 2010

A arte de iluminar

Iluminação é um tema que seguidamente entra na minha pauta.
A vida não teria o mesmo encanto sem aquela luz lateral, amarelada, difusa e aconchegante que só os abajures, spots e lustres proporcionam.

A luz aquece, ilumina, define, revela e esconde. Na dosagem certa, transforma um ambiente no que você quiser.

Quer coisa mais broxante e sem charme que uma lâmpada branca pendurada no teto? Pior ainda se for sem pantalha.
Que falta, desnecessária, de sutilezas.

Pra compensar isso, ao contrário do basicão, faz tempo que muitos artistas apostam na iluminação como arte. E apostam cada vez mais em ingredientes como originalidade, criatividade e riqueza de materiais como plataforma de trabalho, gerando, em nós simples mortais, o inevitável desejo de consumo.

Trago pro blog alguns abajures e lustres interessantes que fotografei nas minhas últimas andanças pela Europa.

Em geral, as fotos são de celular com qualidade baixa, mas dá pra sentir o espírito da coisa.





Abajures de sacola de papel.
Loja Magma
Londres







Abajures de louças e de tecidos. Luminária cortador de grama.
Loja Liberty
Londres





Abajures feitos de Murano.
Ilha de Murano, Veneja, Itália.





Lustres feitos de sementes e grãos.
Espaço Arsenale, Bienal de Veneza 2009.
Veneza





Lustres feitos de material reciclado, com um colorido lindo que infelizmente a foto não revela.
Loja Antropologie
Londres





Lustre enorme. Presumo que de plástico. As peças foram enviadas desmontadas via navio dos EUA.
Hall de entrada do Museu Victorian & Albert Museu.
Londres

2 comentários:

Gis disse...

Lua, arrasaste! Cada um mais incrível que o outro. :-) Temos que falar on-line hora dessas. Beijinho!!!

Lua disse...

Que bom que tu gostou Gis!!
A propósito, adorei a nova fotinho. ;-)

beijos e vamos falar sim, tô sempre no Skype.
besos